Fisioterapeutas querem valorização

Quem já precisou de um fisioterapeuta sabe da importância desse profissional na recuperação da saúde. Em Joinville, existem 75 clínicas de fisioterapia e seus profissionais não estão satisfeitos com o repasse das consultas realizadas.

Nesta tarde, no espaço da Tribuna Livre, a Câmara de Vereadores recebeu Anderson Lobo, presidente da Associação de Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais do Norte de Santa Catarina. Através de números e documentos, apresentados aos vereadores, Anderson relatou a difícil missão de manter uma clínica de fisioterapia. Lobo disse que tanto o setor público (SUS) como o privado, não valorizam os profissionais. Só na cidade de Joinville existem 482 fisioterapeutas e 418 terapeutas ocupacionais. Dessas 75 clínicas em Joinville, apenas sete atendem pelo Sistema Único de Saúde devido ao repasse, que é de R$ 5 a sessão. O ideal, segundo os dados atualizados, seria R$ 30 por sessão.

Atualmente, a Agência Nacional de Saúde (ANS), utiliza a tabela Tuss (Terminologia Unificada da Saúde Suplementar) para gerir os repasses aos profissionais que atendem planos de saúde. Segundo Lobo, esta tabela não é atualizada há 18 anos, ou seja, não atende a necessidade dos profissionais. Para se ter uma ideia, em média, uma manicure cobra entre R$ 15 a R$ 20 para fazer as unhas dos pés e mãos. O plano de saúde privado repassa R$ 6 bruto a cada sessão às clínicas.

Na visão dos profissionais, o baixo valor repassado pode acarretar em problemas de saúde pública. A alta carga tributária e o repasse pífio impedem que os profissionais atendam os cidadãos com qualidade. Além disso, a qualificação dos profissionais, que ficam limitados para participarem de cursos e a renovação dos equipamentos ficam prejudicados. Reduz-se o tempo de atendimento e torna o tratamento mais demorado. Anderson solicitou o apoio da Câmara na luta e citou os trabalhos já apresentados pelos vereadores sobre o tema. O objetivo da Associação é a realização de uma Audiência Pública na Câmara com os vereadores, os secretários da Saúde do Estado e Município e representantes da ANS.{jcomments on}

Foto: Sabrina Seibel