• Outorga Onerosa
  • Sessão Solene
  • Sessão Especial
  • WhatsApp
Imprimir
PDF

Fisioterapeutas querem valorização

Quem já precisou de um fisioterapeuta sabe da importância desse profissional na recuperação da saúde. Em Joinville, existem 75 clínicas de fisioterapia e seus profissionais não estão satisfeitos com o repasse das consultas realizadas.

Nesta tarde, no espaço da Tribuna Livre, a Câmara de Vereadores recebeu Anderson Lobo, presidente da Associação de Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais do Norte de Santa Catarina. Através de números e documentos, apresentados aos vereadores, Anderson relatou a difícil missão de manter uma clínica de fisioterapia. Lobo disse que tanto o setor público (SUS) como o privado, não valorizam os profissionais. Só na cidade de Joinville existem 482 fisioterapeutas e 418 terapeutas ocupacionais. Dessas 75 clínicas em Joinville, apenas sete atendem pelo Sistema Único de Saúde devido ao repasse, que é de R$ 5 a sessão. O ideal, segundo os dados atualizados, seria R$ 30 por sessão.

Atualmente, a Agência Nacional de Saúde (ANS), utiliza a tabela Tuss (Terminologia Unificada da Saúde Suplementar) para gerir os repasses aos profissionais que atendem planos de saúde. Segundo Lobo, esta tabela não é atualizada há 18 anos, ou seja, não atende a necessidade dos profissionais. Para se ter uma ideia, em média, uma manicure cobra entre R$ 15 a R$ 20 para fazer as unhas dos pés e mãos. O plano de saúde privado repassa R$ 6 bruto a cada sessão às clínicas.

Na visão dos profissionais, o baixo valor repassado pode acarretar em problemas de saúde pública. A alta carga tributária e o repasse pífio impedem que os profissionais atendam os cidadãos com qualidade. Além disso, a qualificação dos profissionais, que ficam limitados para participarem de cursos e a renovação dos equipamentos ficam prejudicados. Reduz-se o tempo de atendimento e torna o tratamento mais demorado. Anderson solicitou o apoio da Câmara na luta e citou os trabalhos já apresentados pelos vereadores sobre o tema. O objetivo da Associação é a realização de uma Audiência Pública na Câmara com os vereadores, os secretários da Saúde do Estado e Município e representantes da ANS.{jcomments on}

Foto: Sabrina Seibel

Imprimir
PDF

Estacionamento da Expoville na Comissão de Urbanismo

O assunto mais polêmico levado, por intermédio de uma solicitação feita por meio de ofício, na busca de uma solução através da Comissão de Urbanismo foi para saber a quem cabe a cessão do estacionamento do Complexo da Expoville nos períodos de grandes eventos: para a Associação dos Deficientes de Joinville (Adej), à Promotur ou para o organizador do evento. Para tratar do assunto participaram a gerente de planejamento da Promotur, Vanessa Venzke Falk e o presidente do Convention Visitors Bureau, Richard Spirandeli, da runião ocorrida na tarde de hoje. A Promotur defende que a Adej explore financeiramente o local uma vez que já houve a cessão para a entidade, pelo período de três meses. O Convention entende que as empresas organizadoras dos eventos é que deveriam ter prioridade uma vez que, estas teriam condições técnicas de atender todas as necessidades e complexidades das promoções dando totais garantias de organização, segurança e comodidade aos freqüentadores. Apesar de entender que o assunto poderia ser gerido entre as duas partes, o presidente da Comissão, vereador Lauro Kalfels encaminhou para os vereadores João Rinaldi e Alodir Alves de Cristo que irão concentrar esforços na busca de uma solução que atenda aos interesses de todos os envolvidos no caso. Em seguida foram deliberados quatro Projetos de Lei para mais embasamentos técnicos para elaboração dos pareceres e posterior deliberação.{jcomments on}

Foto: Sabrina Seibel

Imprimir
PDF

Professores do Instituto Joinville se reuniram com presidente

O presidente da Câmara de Vereadores de Joinville, vereador Odir Nunes recebeu, na tarde de hoje, a visita dos professores Ernesto Berkenbrock e Olizilma Ana Bussmann Witt, do Comitê Estratégia de Educação do Instituto Joinville. Ao parlamentar os educadores se apresentaram por terem assumido a coordenação do comitê e se colocaram a disposição para colaborar com o legislativo, no que for possível. Odir Nunes agradeceu e retribuiu oferecendo o espaço da Tribuna Livre, sempre as quartas-feiras, para o comitê fazer qualquer tipo de explanação sobre suas atividades. Além de sugerir que, após contatos com os vereadores Dalila Leal, Alodir Cristo e Adilson Mariano, que integram a Comissão de Educação, participem de um seminário sobre educação que será realizado pela câmara. Na seqüência o presidente do legislativo entregou um exemplar do livro “Da Comuna aos Dias Atuais: A História do Legislativo de Joinville” aos visitantes.{jcomments on}

Foto: Sabrina Seibel

Imprimir
PDF

Cidadania volta a discutir pontos de ônibus

Por Felipe Faria.

Os vereadores Patrício Destro, Zilnety Nunes e Maurício Peixer, da Comissão de Defesa da Cidadania, reuniram-se nesta tarde para discutir dois temas: a precariedade dos pontos de ônibus de Joinville e os problemas que os dias de chuva causam aos moradores das ruas Passo Fundo, no bairro Fátima, e Nazareno, no Costa e Silva.

Os dois temas seriam debatidos com o secretário municipal de Infraestrutura, Ariel Pizzolatti, mas ele alegou ter outros compromissos para hoje e designou o gerente de transportes e vias públicas, Marcos Miranda, para falar dos pontos; e o gerente da unidade de pavimentação, João Damasceno, para falar do problema da chuva.

Só que Damasceno também não compareceu, deixando os moradores que vieram à Câmara sem uma explicação e sem uma perspectiva de solução. OS vereadores convocarão alguém da Prefeitura para dar as explicações. Os moradores destas ruas voltarão na reunião do dia 19.

Assim, Miranda pode abordar com mais tempo como está o levantamento que promete determinar o valor necessário para a manutenção dos pontos de ônibus de Joinville. O assunto foi levantado pelo vereador Patrício Destro, presidente da Comissão de Cidadania, e já vem sendo tratado pelos vereadores ao longo das últimas três reuniões da comissão.

Segundo Miranda, 70% do pontos já foram analisados. Além disso, os técnicos da Prefeitura, segundo afirmou, já estariam engajados em deterinar métodos legais para obter alguma vantagem financeira para o município com a exploração publicitária das paradas. O gerente de transportes e vias públicas disse que o projeto arquitetônicos dos novos pontos, caso a política pública nesta área seja modificada, serão projetados pela Fundação IPPUJ. Os atuais modelos, disse Miranda, custam R$ 6 mil, o modelo em alvenaria, e cerca de um terço disso, o modelo metálico.

Imprimir
PDF

Comissão de Finanças quer ouvir Ipreville e Vitaserv

Por Felipe Faria.

Os vereadores Jucélio Girardi, Zilnety Nunes e Joaquim Alves dos Santos, da Comissão de Finanças da Câmara, reuniram-se há poucos instantes. Eles agilizaram a relatoria de projetos de leis que autorizam a Prefeitura a firmar convênios com entidades filantrópicas e sociais.

Dois projetos dissociados dos demais, porém, chamaram a atenção dos vereadores e vão passar por uma discussão mais aprofundada. Um deles é o de número 98/2011, que provê um alteração na Lei Orçamentária Anual (LOA) para validar movimentação de recursos do Ipreville. O outro é o de número 94/2011, que permite à Prefeitura aumentar o valor dos repasses municipais ao Vitaserv, o plano de saúde dos servidores públicos joinvilenses, para R$ 460 mil por mês, ao longo de 15 meses.

Os parlamentares da Comissão de Finanças querem ver relatórios e balancetes atualizados sobre a situação financeira das duas entidades antes de emitirem pareceres aos dois projetos de leis. Para isso, receberão representantes do Ipreville e do Vitaserv, às 14h e às 15h do dia 19 de maio, respectivamente.

Portal da Transparência

Você pode acompanhar toda a prestação de contas da Câmara de Vereadores de Joinville por meio dos menus ao lado. Para mais informações, com base na Lei de Acesso à Informação, utilize o e-mail.

transparencia@cvj.sc.gov.br