• Audiência Pública
  • Transparência

Zilnety aponta improbidade administrativa

O relatório final da comissão parlamentar de inquérito, conhecida como a CPI dos Móveis Escolares, apontou improbidade administrativa por parte da Prefeitura, do Secretário da Educação e seus subordinados. O relatório final da comissão ficou a cargo da vereadora Zilnety Nunes, que durante uma hora, na sala das comissões, fez suas considerações e apontou um “suposto esquema de fraude” na licitação para a compra de móveis escolares para o município. O caso teve início ano passado após uma carta anônima que denunciava um esquema de favorecimento na licitação. Os vereadores Jucélio Girardi e João Rinaldi foram contrários a aprovação do relatório. Os demais membros, Juarez Pereira, Joaquim dos Santos e a relatora foram a favor. Por três votos a dois, o relatório final da CPI foi aprovado.

Segundo a vereadora Zilnety, a comissão não tem papel de punir e sim, investigar possíveis irregularidades. Segundo o Regimento Interno, após sua conclusão o relatório será encaminhado à Mesa Diretora, para divulgação em plenário; ao Ministério Público; ao Poder Executivo; à comissão técnica afim com a matéria; ao Tribunal de Contas do Estado e ao Jornal do Município para publicação.

Veja o que já foi noticiado sobre a CPI

http://www.cvj.sc.gov.br/mostranoticia.php?cdnoticia=5785

http://www.cvj.sc.gov.br/mostranoticia.php?cdnoticia=5811

http://www.cvj.sc.gov.br/mostranoticia.php?cdnoticia=5841

http://www.cvj.sc.gov.br/mostranoticia.php?cdnoticia=5843

http://www.cvj.sc.gov.br/mostranoticia.php?cdnoticia=5846

http://www.cvj.sc.gov.br/mostranoticia.php?cdnoticia=5892

http://www.cvj.sc.gov.br/mostranoticia.php?cdnoticia=5226

Obras dos R$ 40 milhões do BNDES são apresentadas

Por proposição do vereador Jucélio Girardi, presidente da Comissão de Finanças, a Câmara realizou hoje uma reunião extraordinária desta comissão na qual recebeu o secretário estadual de Infraestrutura, Valdir Vital Cobalchini, para tratarem dos detalhes da aplicação dos R$ 40 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, oriundos de um convênio entre Prefeitura de Joinville e Governo de Santa Catarina, objeto aprovado em outubro do ano passado pela Câmara de Vereadores.

A população de Joinville está sofrendo e precisa de esclarecimentos sobre o que o poder público está fazendo para amenizar o problema das enchentes, disse Jucélio.

Cobalchini disse que os recursos já estão com a Secretaria do Tesouro Nacional, o que, em outras palavras, já permitiriam a contratação das obras. Durante o encontro com o correligionário do governador Raimundo Colombo, os vereadores pediram investimentos do Estado e da União em Joinville e região, a fim de minimizar os impactos das enxurradas sobre a infraestrutura do município e as propriedades dos moradores, mas recursos serão utilizados prioritariamente na melhoria do sistema viário de Joinville.

Belini Meurer e Patrício Destro, como exemplos, pediram atenção à Rua Minas Gerais, que dá acesso ao Morro do Meio e alaga constantemente. Moradores da localidade, inclusive, manifestaram-se com cartazes, pedindo um elevado no local. Dalila Rosa Leal, por sua vez, alertou sobre a necessidade de melhorias nas galerias pluviais do bairro Floresta. James Schroeder sugeriu a realização de um estudo hidrológico amplo das bacias joinvilenses a oeste da Rodovia BR-101, de formas que ossam ser planejadas ações furutas na prevenção ao invés da remediação.

Valdir Cobalchini, por sua vez, lembrou que os R$ 40 milhões já têm endereço. Para enchetes, há outros R$ 2 milhões, dos quais R$ 600 mil já foram liberados, disse o secretário. Antônio Edival, representante da Defesa Civil na reunião, destacou, entretanto, que os autos do órgão já apontam para estragos gerais da ordem de R$ 150 milhões, só nas enxurradas deste ano.

Segundo Cobalchini, os recursos aplicados pelo Governo de SC em Joinville, via BNDES, poderão chegar a R$ 52,5 milhões, incluindo a contrapartida de Florianópolis. As obras previstas e que já podem ser contratadas, segundo o secretário, são:

  • Binário do bairro Vila Nova – R$ 4,2 milhões;
  • Eixo Max Colin / Rua XV de Novembro – R$ 3,6 milhões;
  • Eixo Almirante Jaceguay – R$ 18,3 mihões;
  • Revitalização da Rua Rui Barbosa – R$ 1,3 milhão;
  • Alargamento da Rua Minas Gerais – R$ 0,9 milhão;
  • Corredor Rua Nove de Março – R$ 1,9 milhão;
  • Rua Tuiuti – R$ 2,3 milhões;
  • Rua Albano Schmidt – R$ 0,8 milhão;
  • Estação Itaum – R$ 0,35 milhão;
  • Medidas moderadores de tráfego – R$ 3,5 milhões;
  • Museu do Transporte – R$ 0,5 milhão.

Vereadores mirins visitam o prefeito de Joinville

Dezesseis dos 19 vereadores mirins, todos alunos da rede pública municipal e estadual de Joinville realizaram uma visita a prefeitura, na manhã de hoje, onde foram recepcionados pelo prefeito Carlito Merss, o vice, Ingo Butzke e pelo vereador Manoel Francisco Bento, líder do governo na Câmara. Os estudantes assistiram a um vídeo de 5 minutos sobre “Joinville 160 anos”, onde são destacados assuntos como a cidade, sua economia, a cultura, o parque industrial, setor de prestação de serviços, o turismo, as redes educacionais, parque tecnológico, proximidade com as capitais Florianópolis e Curtiba (PR), as praias da região, a infraestrutura hoteleira e gastronômica, os acessos aos meios de transportes, as rodovias que cortam a cidade, o porto de São Francisco do Sul, o aeroporto Lauro Carneiro de Loyola, e sua gente. Em seguida, os vereadores mirins fizeram perguntas ao prefeito sobre questões como pavimentação, tarifa do ônibus, semana da diversidade, alagamentos e cuidados com a cidade. Após a conversa, eles participaram de um café da manhã com o Prefeito e retornaram à Câmara.{jcomments on}

Fechamento contábil

O Hospital Municipal São José e a Fundação Turística de Joinville (Promotur) encaminharam ao legislativo municipal seus balanços contábeis. Através do ofício nº 56/11, a Promotur encaminhou cópia do balanço relativo ao mês de fevereiro de 2011. No ofício nº 139/11, o Hospital São José encaminhou o fechamento contábil do mês de fevereiro do presente ano. Os documentos são públicos, as cópias estarão no Suporte Legislativo da CVJ para consulta.{jcomments on}

Desembargador Newton Trisotto é Cidadão Honorário

Em noite de comemoração e plenário disputado, o desembargador Newton Trisotto recebeu a outorga de cidadão honorário de Joinville da Câmara de Vereadores. Newton é o presidente do Tribunal Regional de Santa Catarina e destacou-se pelo empenho e trabalho em busca de melhorias para o Poder Judiciário da cidade.

O juiz de direito Davidson Jahn Mello, da 3º Vara da Família, representando a 3º Coordenadoria de Magistrados, destacou a luta de Newton em relação à 105º Zona Eleitoral do município, instalada em dezembro de 2010. O autor da proposição, vereador Maurício Peixer, enalteceu em seu discurso a luta de Trisotto em prol da comunidade joinvilense.

É um verdadeiro joinvilense, enfatizou.

O presidente da Câmara de Vereadores, Odir Nunes, falou sobre a postura ética e a carreira brilhante do homenageado. Em ato simbólico, Odir, junto com os vereadores presentes, entregaram a placa comemorativa que outorga o título de cidadão honorário de Joinville a Newton Trisotto.

Sobre o homenageado

Atua como magistrado desde 1976. Em Joinville, atuou como juiz entre 1986 a 1994. Durante seis anos foi juiz eleitoral de Joinville (1988-1994). Ministrou aulas de direito na Univille. Tornou-se desembargador do Tribunal de Justiça de SC em fevereiro de 1997. Ocupou o cargo de corregedor-geral entre 2006 a 2010. Eleito presidente do TRE em 2010.

Portal da Transparência

Você pode acompanhar toda a prestação de contas da Câmara de Vereadores de Joinville por meio dos menus ao lado. Para mais informações, com base na Lei de Acesso à Informação, utilize o e-mail.

transparencia@cvj.sc.gov.br