• WhatsApp
  • Outorga Onerosa
  • Sessão Solene
  • Sessão Especial
Imprimir
PDF

Comissão de Finanças quer resolução para situação da Ajocedi na segunda-feira. E sem falta

Por Felipe Faria.

Em uma reunião acalorada nesta tarde, a maioria dos vereadores da Comissão de Finanças, oposicionistas ao prefeito Carlito Merss, bateu o martelo: ou a Prefeitura resolve a situação da Associação Joinvilense dos Centros de Educação Domiciliar Infantil (Ajocedi), ou se manifesta oficialmente pelo fim do convênio com a entidade, expressando os motivos para tanto.

Este foi o quarto encontro dos vereadores Jucélio Girardi, Joaquim Alves do Santos, Zilnety Nunes, Patrício Destro (os oposicionistas) e Belini Meurer (único governista da comissão) para tratar do assunto. A expectativa era a de que a diretoria da Ajocedi traria a boa-nova sobre as pendências na prestação de contas. Leia mais sobre o assunto, clicando aqui e também aqui.

Isso, de fato, ocorreu. Mas, segundo o assessor técnico da entidade, Edson Oliveira, agora, um novo impasse surgiu. Com as contas da associação em dia, a Prefeitura estaria apta a remeter para a Câmara um projeto de lei para validar um novo convênio. A proposta da Ajocedi, segundo a presidente Analie dos Santos, era manter os valores do ano passado – R$ 170 por criança de zero a três anos, em turno integral, e R$ 138 para crianças de quatro e cinco anos, em turno integral – e para o total de crianças do ano passado, ou seja, 2.078 crianças.

Só que no ofício em que solicita às secretarias de Planejamento e Fazenda a revalidação do convênio, o secretário de Educação, Marcos Aurélio Fernandes, requereu apenas 1.700 vagas. Para Analie dos Santos, esta redução de 378 vagas face ao que era praticado em 2010 será prejudicial às creches. Segundo afirmou a presidente, pela falta de subsídios, algumas já estão vendendo bens móveis para se sustentarem.

Nenhum representante da Prefeitura compareceu à reunião desta tarde, o que frustrou as cerca de 30 proprietárias de creches que prestigiaram a reunião. A expectativa delas era sair do encontro com um acordo. Em função disso, o presidente da Comissão de Finanças, vereador Jucélio Girardi, convocou para segunda-feira, às 14h, reunião extraordinária na qual será feita a discussão derradeira.

Jucélio avisa:

“Ou a Prefeitura manda seus representantes à Câmara para explicar a real situação, ou vamos todos os vereadores – porque isso já não é mais assunto só desta comissão – mais todos os representantes das 64 creches associadas à Ajocedi cobrar providência imediatas”.

Foto de Sabrina Seibel

Imprimir
PDF

Mirins visitam área rural de Joinville

O projeto pedagógico Câmara Mirim, da CVJ, oportunizou aos jovens vereadores uma visita a área rural de Joinville. O local escolhido foi a Estrada Bonita, região que pertence ao distrito de Pirabeiraba. Os mirins foram recebidos no Turismo Rural Ango e Ivanir Kersten, onde conheceram os produtos artesanais, o museu rural e aprenderam sobre o processo de captação de água do local.{jcomments on}

Fotos: Sabrina Seibel

Imprimir
PDF

Presidente visita Secretaria Estadual da Defesa Civil

O Presidente da Câmara de Vereadores de Joinville, o vereador Odir Nunes esteve na manhã de hoje na Secretaria  Estadual da Defesa Civil onde conversou com o ex-Senador Geraldo Althof, hoje secretário, sobre o repasse dos recursos para os joinvilenses que foram atingidos pelas enchentes. Na ocasião Odir presenteou o secretário com um exemplar do livro “Da Comuna aos Tempos Atuais: A História do Legislativo de Joinville”.{jcomments on}

Imprimir
PDF

Audiência especial de conciliação

A Câmara de Vereadores sediará audiência especial de conciliação. O evento, que acontece no dia 27 de maio, trabalha a questão da prática de alienação parental e suas consequências. A Síndrome de Alienação Parental é o termo usado quando a mãe ou o pai de uma criança a treina para romper os laços  afetivos com o outro cônjuge, criando fortes sentimentos de ansiedade e temor em relação ao outro genitor. O evento é proposto pela 2º Vara da Família da Comarca de Joinville.

A audiência terá o envolvimento de 200 partes e seus advogados. Tem como finalidade colocar em prática o Projeto elaborado pelo Juízo da 2º Vara da Família para apresentação de espetáculo teatral sobre alienação parental. O objetivo é envolver a comunidade joinvilense para conscientizar as famílias, principalmente no caso de pais separados, acerca das consequências advindas da prática de alienação parental quando ocorre disputa da guarda.

O lançamento do projeto, com apresentação de espetáculo teatral sobre Alienação Parenta pela Dionisos Companhia de Teatro, será no dia 27/05/11, às 19 horas na Sala do Júri – Fórum de Joinville.

Imprimir
PDF

Uso de areia de fundição debatido na CVJ

O uso de areia descartada de fundição foi tema de intenso debate nesta tarde, na sede da Câmara de Vereadores (CVJ). Após denúncia feita a CVJ, colocando em suspeita o uso saudável da areia descartada, os membros das comissões de Urbanismo e Saúde convidaram os envolvidos para dialogar sobre o tema.

Para Leonardo Morelli, Secretário Geral da Defensoria Social e autor da denúncia, a areia de moldagem reciclada, que é o principal resíduo da indústria de fundição, é cancerígeno. Morelli mirou sua denúncia na Fundição Tupy, empresa sediada em Joinville. Para Morelli, os produtos fabricados a partir da areia descartada contêm fenol, substância tóxica e que pode ocasionar câncer.

Por sua vez, a empresa Tupy desqualificou as denúncias de Morelli. Raquel Carnin, química da empresa, fez uma apresentação mostrando passo a passo todo o processo que o material passa para ser reutilizado. Segundo Raquel, a empresa segue todas as normas e procedimentos vigentes. Wilson Luiz Guesser, engenheiro da Tupy, afirmou que o uso de materiais feitos com a areia de fundição descartada não é prejudicial à saúde. Para ele, não existe embasamento científico que prove o prejuízo do material ao maio ambiente e a saúde do homem. O reuso da areia é destinada a confecção de peças de concreto, lajotas usadas em calçadas, ao uso de paver, em aterro de resíduos, na agricultura entre outros.

A prefeitura utilizou pavers (peça pré-moldada de concreto), que a Tupy fabricou, na construção de calçadas. Este foi um dos motivos que levou a discussão para as comissões da Câmara. Por se tratar de um tema importante e recente na cidade, os vereadores querem toda atenção dos órgãos ambientais responsáveis e da PMJ para o uso seguro do material. A convite dos técnicos da Tupy, os vereadores membros das comissões farão uma visita a empresa para acompanhar todo o processo de produção do material. O objetivo é levantar novas informações para um posicionamento final sobre o uso deste material em Joinville.{jcomments on}

Fotos: Sabrina Seibel

Portal da Transparência

Você pode acompanhar toda a prestação de contas da Câmara de Vereadores de Joinville por meio dos menus ao lado. Para mais informações, com base na Lei de Acesso à Informação, utilize o e-mail.

transparencia@cvj.sc.gov.br