• Boas Festas
  • Recesso
  • Acesse o portal da transparência
Blog da LOT

Emoção marcou a sessão em homenagem aos 35 anos do JEC

Os 35 anos de história, coroados de conquistas, títulos, emoções e lembranças de um time que possui hoje uma das maiores torcidas de Santa Catarina, marcaram a sessão da Câmara de Vereadores de Joinville, realizada na noite de quinta-feira, dia 17, que homenageou a fundação do Joinville Esporte Clube (JEC).

Um dos destaques do evento foi a presença do primeiro presidente do clube, após a fusão de América e Caxias, Waldomiro Schützler, que marcou sua passagem pela conquista de 10 títulos de campeão catarinense e diversas participações por campeonatos nacionais, em 17 anos. Fato inédito na história do futebol catarinense. Na medida em que os oradores relembravam os grandes momentos de glória do JEC, os dirigentes, vereadores, torcedores e o público presente estampavam emoção e orgulho de ser torcedor de um jovem e bem sucedido clube.

O vereador Jucelio Girardi, proponente da homenagem, lembrou da importância que o time representa para Joinville, “será o representante da maior cidade do Estado no campeonato brasileiro de futebol da série C e atualmente disputa o campeonato catarinense “.  Os vereadores Beline Meurer, Alodir Alves de Cristo, Maurício Peixer, Zilnety Nunes, Odir Nunes e James Schroeder saudaram a diretoria pela trajetória do JEC, enalteceram a torcida, “que independentemente de resultados e demonstrando garra estão sempre ao lado do time”. E lembraram que, é tão forte a influência que o clube exerce na vida dos joinvilenses que até a produtividade aumenta nas empresas a cada vitória do clube.

O presidente Márcio Vogelsanger fez um resumo dos 35 anos e lembrou que entre as ações da diretoria está a valorização das categorias de base que conta com cerca de 400 meninos. Mas foi Waldomiro Schützler que emocionou os presentes ao lembrar que, “nas veias de Márcio Volgesanger verve sangue de vencedor”. Falou de Arinor Volgesanger, pais do presidente, que também foi vereador e vencedor, “você está no caminho certo, também sua diretoria, continue que será campeão”, afirmou.

Câmara terá desfibrilador

A Câmara de Vereadores terá em suas dependências um Desfibrilador Automático Externo (DEA), um sofisticado equipamento baseado em microprocessadores cuja finalidade é o socorro a vítimas que tenham sofrido problemas de desfibrilação, ou seja, paradas cardíacas. O pedido partiu da vereadora Tânia Eberhardt, que desde 2005 apresentou no legislativo matérias defendendo a instalação do equipamento em locais onde circulam em média duas mil pessoas. Aprovada em 16 de março de 2009, a lei complementar nº 294/09 não está sendo cumprida no município. O presidente do legislativo, vereador Odir Nunes, após receber o memorando da vereadora, se comprometeu em instalar o equipamento e dar o exemplo.

O poder legislativo sai na frente. Infelizmente a lei não está sendo levada a sério lamenta a vereadora.

Outro assunto de relevância para a comunidade é referente ao transporte público. Através do requerimento nº 13/11, o vereador Adilson Mariano quer a constituição de uma Comissão Especial para estudo e análise do sistema do transporte coletivo em Joinville, sua tarifa, planilha de custos, legislação, estrutura de fiscalização e controle. O contrato vigente do transporte coletivo na cidade está para expirar, por isso a preocupação do vereador com as futuras licitações e a qualidade dos serviços prestados. O requerimento será analisado na próxima terça-feira, dia 22, no plenário da Câmara.{jcomments on}

Mais vagas de estacionamento na Câmara

A partir de amanhã, dia 18, a Câmara de Vereadores de Joinville passa a oferecer mais um espaço para estacionamento de veículos. O novo local é o terreno asfaltado ao lado da sede do Poder Legislativo, de propriedade da imobiliária Hacasa.

Para fazer uso do local, o Poder Legislativo fez um convênio de sessão de comodato de uso.

O acordo não gerará custo algum aos cofres públicos.

O presidente, vereador Odir Nunes, afirma que a medida amenizará os problemas com a falta de vagas no prédio da Câmara e também com os furtos que estão ocorendo nas imediações.

O estacionamento será liberado após o meio-dia e ficará disponível até o término do expediente, às 19h. A entrada será controlada por portão eletrônico e vigia 24 horas.

Esse convênio tem duração de 60 dias, período hábil para que a Prefeitura conceda o terreno localizado nos fundos da Câmara, para que mais vagas possam ser construídas. Hoje, a sede do Poder LEgislativo conta com 76 vagas de estacionamento, número que sequer atende à demanda de veículos dos funcionários. Com a abertura do terreno nos fundos estima-se que sejam configuradas mais 50 vagas.

_________________________
Colaborou Oricelma Dutka, jornalista
Assessoria de imprensa do presidente
Veja mais no blog do vereador Odir Nunes

Problemas na rede estadual de ensino discutidos na Comissão de Educação

A falta de professores na rede estadual de educação, o fechamento de turmas do ensino médio noturno em Joinville, escolas interditadas, a municipalização dos Ceis (Centro de Educação Infantil) e a federalização da Univille (Universidade da Região de Joinville) foram temas debatidos na tarde desta quinta-feira, dia 17, na comissão de educação. Na sala das comissões, os vereadores Adilson Mariano, Alodir Cristo, Dalila Leal e Zilnety Nunes receberam convidados para debater os problemas na educação do Estado, que reflete no ensino municipal.

A presidente do Sinte (Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Catarina), Clarice Elbredt, pontuou a falta de professores na rede estadual de ensino. Para ela, um dos principais motivos, além da baixa remuneração e motivação, é a falta dos concursos públicos. Devemos investir na qualificação dos profissionais e incentivar os estudantes, defende a professora. No entendimento de Clarice, somente os ACTs (contratação de professores temporários) não resolvem, pois muitos não são comprometidos com a educação como um todo.

Na visão do estudante Iago Paqui, presidente da Ujes (União Joinvilense dos Estudantes), o fechamento do turno noturno prejudicou muitos estudantes. O estado deve investir na infraestrutura das escolas, muitas salas de aula são extremamente desconfortáveis, superlotadas, afirma Iago. Outra reivindicação do jovem é a disponibilidade de um local adequado para as reuniões da Uje.

Queremos nos organizar para cobrar nossos direitos.

Representando a Gered (Gerência de Educação do Estado), falaram Evelise Fátima Martins, supervisora de educação básica profissional e Angela Cristina da Silva, integradora do ensino médio. Na oportunidade, foi exposto que a decisão de fechar algumas turmas do noturno seguiu o critério da economicidade. No entendimento da Secretaria de Educação do Estado, uma escola como o Conselheiro Mafra, localizada no centro da cidade, por exemplo, de 46 alunos que frequentavam o período noturno, 23 residiam em bairros diferentes, ou seja, deveriam procurar uma escola próxima de sua casa. Outra situação levantada, é referente a prioridade aos estudantes trabalhadores no ensino noturno. Nos cálculos da Gered, de modo geral, são poucos alunos do noturno que trabalham efetivamente, muitos fazem estágios. Cada caso deve ser analisado. O vereador Adilson Mariano não concorda com a lógica de economia.

Economizar é preciso, mas tratando-se de educação, devemos é investir, incentivar, garantir infraestrutura aos estudantes.

O mesmo raciocínio teve o vereador Cristo.

A educação tem que ser exemplo de eficiência. Temos que repensar o atual modelo de educação. O que queremos para a educação de Santa Catarina?

A presidente da comissão, vereadora Dalila, mostrou-se preocupada com os fatos e revelações durante a reunião. Para ela, é necessário pensar quais os reais motivos da evasão escolar, um dos principais motivos para o fechamento dos turnos noturnos. Neste sentido, ela propôs que os professores que irão ministrar aulas a noite sejam escolhidos “a dedo”. “O tratamento dado ao estudante do noturno deve ser diferenciado. Muitos já chegam estressados, cansados, assim como os professores”, salienta.{jcomments on}

Vai começar a oitava legislatura da Câmara Mirim

Depois de dois ensaios gerais ao longo desta semana, chegou a hora de assumir o mandato para valer. Será nesta sexta-feira, dia 18, a partir das 15h, a posse dos 19 vereadores mirins da 8ª Legislatura Mirim.

A garotada, que tem entre 12 e 14 anos, exercerá suas funções até o final deste ano legislativo, dia 15 de dezembro. São esperados na cerimônia de 200 a 300 pais, alunos e professores das 19 escolas participantes.

A Câmara Mirim é um programa da Câmara de Vereadores de Joinville que visa formar nos jovens o espírito de liderança política e comunitária. A cada dois anos, são eleitos 38 vereadores mirins: primeiro, assumem os 19 mais votados e, no ano subsequente, os outros 19 classificados.

As eleições da Câmara Mirim são supervisionadas pelo Tribunal Regional Eleitoral. Na última, em outubro de 2009, participaram 20 mil alunos-eleitores, de 52 escolas municipais, estaduais e particulares. Foi uma eleição, segundo o TRE/SC, maior que as eleições reais de 254 municípios de Santa Catarina em número de eleitores. Foram mais de 100 urnas eletrônicas para o escrutínio mirim joinvilense.

Ao longo do mandato, a garotada pode apresentar moções e indicações, tais quais as dos vereadores. Elas são lidas, discutidas e aprovadas em sessões mensais, sempre na última segunda-feira de cada mês, a partir das 15h. Depois, são respaldas pela Mesa Diretora e, quando oportunas, são enviadas ao Poder Executivo para providências.

Segundo a coordenação da Câmara Mirim, o que mais os jovens pedem são melhorias nas escolas, principalmente nas quadras esportivas. Mas nada os impede de fiscalizarem os bairros, suas ruas, etc. Durante os ensaios desta semana, eles tiraram todas as dúvidas sobre como proceder para fazer suas reivindicações. Veja, abaixo, como foi um destes ensaios:

A sessão solene de posse dos vereadores mirins da oitava legislatura terá transmissão ao vivo pelo novo site da Câmara de Vereadores. Acompanhe, prestigie!


Veja quem são os vereadores mirins de 2011

  • Amanda Conradt - Escola Dr. Abdon Batista
  • Ana Luisa Chirolli - Escola Dom Jaime Câmara
  • Arnaldo Pedro Forte - Escola Dr. Tufi Dippe
  • Bianca Luiza Delabenetta - Escola Paul Harris
  • Carlos Manoel de Castro - Escola João Costa
  • Carine de Souza Bernardo - Escola Curt Alvino Monich
  • Francielle Lara Pickler - Escola Amador Aguiar
  • Emily da Silva Strapazzon - Escola Presidente Castelo Branco
  • Gabriel Alberto Ferrari - Escola Lea Maria Aguiar Lepper
  • Gustavo Lamin Caetano - Escola Professor Orestes Guimarães
  • Henrique José Dalanhol Júnior - Escola Professora Rosa Maria Berezoski Demarchi
  • Jaqueline Helen Martins - Escola Professor Osvaldo Cabral
  • João Victor Berkenbroch de Oliveira - Escola Conselheiro Mafra
  • Nathan Henrique Amâncio - Escola João Bernardino da Silveira Jr.
  • Pablo Alexandre Mendes Nunes - Escola Professora Laura Andrade
  • Rafael da Cunha - Escola Prefeito Baltazar Buchle
  • Rafaela Wiest Alves - Escola Professora Maria Regina Leal
  • Rodrigo Yuji Seto Soma - Escola Maria Amin Ghanem
  • Roger Christian Valcanaia - Escola Dr. José Antônio Navarro Lins

Portal da Transparência

Você pode acompanhar toda a prestação de contas da Câmara de Vereadores de Joinville por meio dos menus ao lado. Para mais informações, com base na Lei de Acesso à Informação, utilize o e-mail.

transparencia@cvj.sc.gov.br