• Sessão Solene
  • Sessão Especial
  • Outorga Onerosa
  • WhatsApp
Imprimir
PDF

Baixa arrecadação coloca gasto com pessoal em limite prudencial

Por Jeferson Luis dos Santos.

Comissão de Finanças
Foto de Nilson Bastian

Representantes da Prefeitura apresentaram durante audiência pública ocorrida nesta quinta (27), na Comissão de Finanças, o resultado orçamentário entre janeiro e agosto. Neste período, o município arrecadou em impostos e repasses estaduais e federais R$ 1,283 bilhão. As despesas no mesmo período somaram R$ 1,17 bilhão.

A contadora-chefe da Secretaria da Fazenda, Ketty Benkendorf, disse que a greve dos caminhoneiros e as instabilidades do mercado financeiro impactaram negativamente a receita do município. No mesmo período de 2017, a arrecadação foi 4% maior do que a verificada neste ano.

A queda na receita, apontou a contadora, também é justificativa para que, proporcionalmente, os gastos com pessoa tenham subido. Até agosto, a Prefeitura comprometeu 53,34% da sua receita com pagamento salários. O índice, portanto, está acima do limite prudencial estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal, que é de 51,3%, mas ainda abaixo do limite constitucional, que é de 54%.

Saúde e educação são as funções de governo com as maiores fatias de despesas durante o ano. Os gastos com saúde respondem por 34,9% das despesas. Educação, por sua vez, responde por 22%.


Notícias Relacionadas


Se você quer fazer uma sugestão, crítica ou correção sobre esta matéria, envie um e-mail para Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. ou uma mensagem no WhatsApp (47) 98873-7517.

Portal da Transparência

Você pode acompanhar toda a prestação de contas da Câmara de Vereadores de Joinville por meio dos menus ao lado. Para mais informações, com base na Lei de Acesso à Informação, utilize o e-mail.

transparencia@cvj.sc.gov.br