• Acesse o portal da transparência
Blog da LOT

Outorga da medalha Antônia Alpaídes marca Dia da Consciência Negra na Câmara

Ontem, Dia da Consciência Negra, a Câmara de Joinville outorgou a Medalha de Mérito Antônia Alpaídes a nove pessoas que, por meio da arte, da cultura, do desenvolvimento social e educacional têm feito trabalhos relevantes ou ou destacam-se na defesa da raça negra na cidade.

O homenageado da bancada do PMDB foi Josué Martinho de Souza, o "Pico". Nascido em Guaramirim, ele está em Joinville desde 1967. Apaixonado por futebol, Pico é um dos fundadores do Flamenguinho Esporte Clube.

O vereador Claudio Aragão, destacou o trabalho que Pico faz na escolinha de futebol, com a qual, nas palavras do vereador, "ajuda na formação de jovens e adolescentes da Zona Sul de Joinville".

Pela bancada do PSB, quem recebeu a medalha foi Leonardo dos Passos Santos, o "Bola". O brasiliense de 41 anos já foi Rei Momo do carnaval de Joinville duas vezes, em 2012 e 2013. Bola é promotor do samba e da cultura negra. Ele é integrante do Grêmio Recreativo e Escola de Samba Unidos Pela Diversidade.

O vereador Rodrigo Coelho disse que a outorga da medalha a Bola é apenas um "singelo reconhecimento ao grande trabalho que ele faz em prol da cultura negra".

A bancada do PR homenageou Sebastião Benedito, o "Seu Benedito". Nascido em Tijucas, na Grande Florianópolis, ele tem hoje 82 anos, 29 dos quais morador do bairro Nova Brasília. Ele foi funcionário do antigo DNER por 35 anos. Aposentado, ele é hoje um dos principais nomes da Renovação Carismática Católica e auxilia na formação espiritual de diversas famílias por Joinville.

O vereador Maurício Peixer enalteceu o trabalho voluntário realizado pelo homenageado. O vereador Pelé disse que o Seu Benedito se destaca pela missão de evangelizar.

Uma vez mais, Jacila Barbosa, a "Mãe Jacila", foi homenageada na Câmara por seu trabalho em defesa dos negros em Joinville, desta vez pela bancada do PSDB. A Mãe Jacila é a líder da Casa da Vó Joaquina, que promove ações sociais em comunidades dos bairros Ademar Garcia e Ulysses Guimarães. É também presidente do Conselho Municipal da Promoção da Igualdade Racial e uma das principais promotoras da Semana da Consciência Negra em Joinville.

O vereador Odir Nunes disse conhecer o trabalho da Mãe Jacila há muitos anos. "É uma guerreira, que além de ser uma defensora dos afrodescendentes e das casas de santos, atua em prol do comunidade mais carente de Joinville”.

O homenageado dos vereadores do Solidariedade é Rufino Agostinho de Aviz, morador do bairro Vila Nova. Filho de uma família de nove irmãos, Rufino começou a vida em Joinville em 1959. Ele foi um dos pioneiros da Igreja Evangélica Assembleia de Deus no bairro, em uma época joinvilense de forte discriminação contra negros e evangélicos.

O vereador Adilson Girardi disse que Rufino "é um irmão, um amigo do coração, um trabalhador, um marido e pai dedicado".

Pelo PSD, o homenageado neste ano com a Medalha Antônia Alpaídes é o coronel Alexandre Marcos de Jesus, comandante do 62º Batalhão de Infantaria do Exército Brasileiro em Joinville. Carioca formado na Academia Militar das Agulhas Negras, o coronel Alexandre está à frente do batalhão há mais de um ano. Ele já integrou missões internacionais das Nações Unidas na Ásia.

O vereador Fabio Dalonso fez questão de enaltecer a excelente avaliação que o coronel tem dentro no Exército. Segundo o vereador, "fruto de um comando feito com amor, respeito, fraternidade e igualdade".

O homenageado do PSC é o pastor Daniel de Souza. Vindo de uma família de onze irmãos, o camburiense Daniel de Souza, hoje aos 52 anos, é pastor na Igreja Evangélica Assembleia de Deus. Bacharel em Teologia, é conhecido por sua conduta calma, tranquila, sempre ofertando conforto espiritual a seus seguidores.

O vereador Lioílson Corrêa foi o proponente da outorga da medalha ao pastor.

Pela primeira vez neste ano, desde que foi instituída a Medalha Antônia Alpaídes, em 2006, houve uma homenagem póstuma. A professora Lúcia Helena Corrêa, vencida por um câncer aos 53 anos de vida neste ano, teve seu luta pela educação reconhecida. Já como diretora da Escola Adolfo Bartsch, ela conduziu sua equipe à conquista do melhor Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) em séries iniciais entre as escolas municipais de Joinville.

A homenagem à professora Lúcia foi uma indicação do vereador James Schroeder, do PDT. A mãe dela, Joanita Marcolino Corrêa, foi quem recebeu a honraria.

A professora Ana Lúcia Martins foi a homenageada da bancada do PROS. Ana Lúcia é pesquisadora e militante da participação da mulher na política. Defensora da igualdade racial, ela integra o Fórum de Mulheres Negras de Joinville, que busca a visibilidade e o empoderamento das mulher negras. É também fundadora do Coletivo Ashanti de Mulheres Negras, que integra mulheres haitianas na socidade joinvilense.

A vereador Ana Rita leu texto escrito pela homenageada, com o qual clama o fim do racismo. Aqui, trechos: "Homenagens como estas contribuem para a visilidade das mulheres negras em nossa sociedade. Negras e negros são 54% da população brasileira, mas 71% das vítimas de homicídios. Somos a maioria na população do país, mas minoria nos espaços de decisão. Há um fator que estrutura a desigualdade no Brasil, que se chama racismo, um legado histórico que ainda não foi enfretado de modo efetivo. As homenagens e reconhecimentos não garantem nossos direitos e nem devolvem a dignidade retirada de nossos antepassados. A minha história de vida se mistura com a minha história de luta. Ser mulher e negra me fez entender a necessidade de resistência. O silêncio que aprisionou meus avós, meus pais, meus irmãos rompeu-se em mim e já não me aprisiona mais. Essa luta é de todos e todas nós pelo fim do racismo."

Texto: Jornalismo CVJ, por Felipe Faria. Fotos: Sabrina Seibel.

Portal da Transparência

Você pode acompanhar toda a prestação de contas da Câmara de Vereadores de Joinville por meio dos menus ao lado. Para mais informações, com base na Lei de Acesso à Informação, utilize o e-mail.

transparencia@cvj.sc.gov.br