• Sessão Solene
  • 150 anos
  • WhatsApp
  • República
  • Audiência Pública
  • Sessão Especial
Imprimir
PDF

Tribuna Livre: CVV aborda a campanha Setembro Amarelo

Por Marina Bosio.

Tribuna Livre

O Centro de Valorização da Vida (CVV) usou a Tribuna livre na sessão desta quarta-feira (12) para chamar a atenção da população sobre a prevenção ao suicídio. A porta-voz da entidade em Joinville, Solange Coral, falou sobre o trabalho da organização, que não tem fins lucrativos.

O CVV é uma é uma associação reconhecida de utilidade pública no Brasil desde 1973. Ele realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo gratuitamente a pessoas que querem e precisam conversar, pelo telefone 188, 24 horas por dia, todos os dias. Em Joinville, são, em média, mil ligações por mês.

O CVV atua com trabalho de voluntários. De acordo com Solange, haverá seleção de novos voluntários em Joinville no dia 19 de setembro. Para ser voluntário, o interessado deve ser maior de 18 anos e ter disponibilidade de mais de quatro horas e meia por semana, e fazer um treinamento que dura três meses.

De acordo com Solange, é importante conscientizar e mobilizar a população para o que chamou de “drama social”. As estatísticas mostram que o suicídio figura entre as principais causas de morte entre os jovens. Segundo ela, o trabalho do CVV se baseia no “desejo de fazer algo pelo outro”.

A cada hora, uma pessoa tira a própria vida no Brasil. A região Sul tem a proporção mais elevada de suicídios no país, com 23% dos casos.

Conforme a Lei Municipal nº 8.258/2016, o mês de setembro em Joinville é dedicado à conscientização da população para a prevenção do suicídio. Amarelo é a cor que representa esse mês.

Projetos

A Câmara tem alguns projetos de leis em tramitação, que procuram prevenir o suicídio. O 432/2017, do vereador Rodrigo Fachini (MDB), pretende instituir a Semana de Conscientização sobre Depressão Infantil. Ele ainda não foi analisado pelas comissões.

Proposto por Liosilson Corrêa (PSL), o 195/2017 propõe uma campanha de conscientização da depressão na infância e na adolescência. O projeto teve parecer contrário na Comissão de Legislação, mas ainda não foi votado em Plenário.

Já o Projeto de Lei nº 433/2017, de Fachini, pretende a criação de um programa de acompanhamento psicológico e assistência social na rede municipal de ensino. Ele também teve parecer contrário quanto a admissibilidade em Legislação.

Com o mesmo intuito, o PL 175/2017, de Jaime Evaristo, propõe a implantação de medidas de prevenção ao suicídio nas escolas municipais da cidade. Ele também teve parecer contrário na comissão de Legislação, mas ainda não foi arquivado.

Tratamento

O Ministério da Saúde recomenda que pessoas em situação vulnerável ao suicídio procurem ajuda de psicólogos, de psiquiatras ou do CVV. Em Joinville, as unidades básicas de saúde contam com atendimento psicológico. Cada UBS tem seu procedimento próprio para marcação de consultas. Para se informar, o interessado deve ligar na UBS que atende o seu endereço.

Joinville conta, ainda, com quatro unidades de Centro de Atenção Psicossocial (CAPs). Em cidades em que há CAPs, o risco de suicídio cai em 14%, segundo o Ministério da Saúde.


Notícias Relacionadas


Se você quer fazer uma sugestão, crítica ou correção sobre esta matéria, envie um e-mail para Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. ou uma mensagem no WhatsApp (47) 98873-7517.

Portal da Transparência

Você pode acompanhar toda a prestação de contas da Câmara de Vereadores de Joinville por meio dos menus ao lado. Para mais informações, com base na Lei de Acesso à Informação, utilize o e-mail.

transparencia@cvj.sc.gov.br