• Sessão Especial
  • Sessão Solene
  • Sessão Especial
  • A gente faz
  • Siga a CVJ nas redes sociais
Imprimir
PDF

População reclama de mudanças de horários e itinerários de ônibus

Por Marina Bosio.

Câmara de Vereadores de Joinville
Foto de Mauro Arthur Schlieck

Usuários do transporte coletivo de Joinville participaram da Comissão de Urbanismo, na tarde desta terça-feira (16), para reclamar de alterações realizadas recentemente nos horários e itinerários das linhas. O diretor da Passebus, Alcides Bertoli, tentou explicar os motivos das mudanças, mas não convenceu a população, que pede audiência pública sobre o assunto.

Bertoli argumentou que as empresas de ônibus não têm intenção de piorar o serviço, já que assim irão perder clientes. Ao contrário, segundo ele, o objetivo ao mudar os itinerários e horários é resolver o problema da maioria dos usuários.

“Quem foi atendido pelas mudanças não reclama, mas quem se sentiu prejudicado está reclamando, e assim temos uma impressão distorcida”, disse.

Ele admitiu que os tempos de deslocamentos dos ônibus aumentaram nos últimos anos, e não vão diminuir, tendo em vista, segundo Betoli, o aumento do tráfego na cidade.

O diretor garantiu que em Joinville "ninguém anda 500 metros sem achar uma linha de ônibus, e que pelo sistema de informação os usuários conseguem saber os horários e itinerários". O diretor disse, ainda, que a comunicação das alterações das linhas foi feita aos usuários com pelo menos 15 dias de antecedência, por redes sociais e avisos afixados nos terminais e ônibus.

O gerente da Unidade de Transportes e Vias Públicas do Seinfra, Carlos Augusto Lange, disse que a Seinfra autorizou as alterações de horários e itinerários feitas pelas empresas. Ele reconheceu que o sistema tem problemas e é preciso reestruturá-lo.

O secretário do Conselho Municipal das Associações de Moradores (Comam), Reinaldo Pscheidt, afirmou que falta debater a mobilidade em Joinville, e sugeriu que seja realizada uma audiência pública sobre o tema. Ele afirmou que nenhum representante de associações de moradores que ele conhece foi consultado sobre as mudanças, e disse que no bairro onde mora, o Guanabara, os usuários foram avisados das alterações sete dias antes da efetivação.

Orlando Schneider, morador do Adhemar Garcia, também pediu uma audiência pública para debater o transporte coletivo. O usuário de transporte coletivo Leonardo Schultz defendeu que audiência pública deve ser realizada em horário não comercial, para que trabalhadores consigam participar.

O munícipe questionou como as empresas Gidion e Transtusa argumentam que o número de usuários do sistema está diminuindo, mas não abrem as planilhas de despesas e receitas para a população. “Se o número de usuários do sistema coletivo está caindo é porque a qualidade é ruim e o preço é alto”, afirmou.

Dados apresentados pela Consultoria Técnica da Comissão mostraram que em 2011 eram 130 mil usuários do transporte coletivo por dia; e em 2018 esse número caiu para 102 mil usuários por dia. O diretor da Passebus não reconheceu os números. A frota de carros aumentou no mesmo período, de acordo com os números apresentados, sendo de 196 mil em 2011 e subindo para 260 mil em 2018.

Ao reproduzir nossas informações, pedimos a gentileza de citar como fonte "Divisão de Jornalismo CVJ". Acompanhe nossas notícias aqui no site e em facebook.com/cvjtv.

Notícias Relacionadas


Se você quer fazer uma correção, sugestão ou crítica, envie um e-mail para Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. ou uma mensagem no WhatsApp (47) 98873-7517.

Portal da Transparência

Você pode acompanhar toda a prestação de contas da Câmara de Vereadores de Joinville por meio dos menus ao lado. Para mais informações, com base na Lei de Acesso à Informação, utilize o e-mail.

transparencia@cvj.sc.gov.br